Ahlus Sunnah wal Jamaa’ah não são prejudicados por aqueles que se opõem a eles…

Em nome de Allah, O Clemente, O Misericordioso

Chaikh Saalih Al-Fawzan حفظه الله (que Allah o preserve) disse:

“Ahlus Sunnah wal Jamaa’ah não são prejudicados por aqueles que se opõem a eles. Se tu estás com eles – todo o louvor é para Allah – eles estão satisfeitos com isso, porque de facto eles querem o bem para as pessoas. Se tu te opuseres a eles, tu não podes prejudicá-los e devido a isso O Mensageiro de Allah صلى الله عليه وسلم (que os Elogios e a Paz de Allah estejam sobre ele) disse:

Não deixará de haver um grupo da minha Ummah que será manifestado sobre a verdade – não será prejudicado por aqueles que os traem (ou abandonam), até que a ordem de Allah aconteça (isto é, o dia do Juízo) enquanto eles permanecerão sobre a verdade.

Aquele que está em oposição (à verdade) não faz mal senão a si mesmo.

O que se leva em consideração não são os grandes números (de pessoas, de seguidores), mas o que se leva em consideração é estar de acordo com a verdade, mesmo que seja um pequeno número de pessoas envolvidas, e mesmo que em algumas eras haja apenas uma pessoa (que siga averdade), então ele é o único sobre verdade e ele é a Jamaa’ah. A Jamaa’ah não requer grandes números; em vez disso, a Jamaa’ah é o que está de acordo com a verdade – de acordo com o Alcorāo e a Sunnah, mesmo que aqueles sobre ela sejam poucos. No entanto, se muitos se unem sobre verdade, então – todo louvor é para Allah – isso é a força.
Mas se a maioria se opuser (ou seja, à verdade), então nós ficamos do lado da verdade, mesmo que só alguns estejam sobre ela.”

Fonte: Lamhatu an Al-Firaq Ad-daalat (páginas: 14 -15).

Traduzido por: Abu Faysal Ali Alburtugaali.

68 Views
Partilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Next Post

Paz de Espírito...

Dom Jun 21 , 2020
Um beduíno (pessoa do deserto) disse: Procurei a paz de espírito para mim mesmo e não a encontrei em nada mais do que em abandonar aquilo que não me diz respeito. Isto é, abandonar aquilo que a Charii’ah (Legislação Islâmica) declara não ter nenhum benefício – em palavras e ações […]